Ancoragem de Preços

11/11/2020

​Ancoragem de preços é a criação de uma margem de variação para o preço, a qual influencia o comprador a partir de um preço referencial. Hoje em dia essa técnica é muito utilizada em qualquer tipo de comércio.

Um preço só é considerado caro ou barato se existir uma outra opção que sirva de comparação, para que então a noção do preço parta dessa referência, isso é o que chamamos de ancoragem. Nos ancoramos a uma parte da informação que recebemos primeiro e tomamos decisões a partir dessa referência. Temos uma tendência em aceitar e confiar no primeiro pedaço de informação recebida antes de tomar uma decisão. Essa primeira peça de informação é a âncora que vai definir o tom para tudo o que vem depois.

Quando uma marca divulga um tênis por R$1500,00 não significa necessariamente que ela quer vende-lo. A função desse anúncio de âncora é fazer com que a linha de produtos da mesma marca pareça ter um preço justo, em comparação com esse preço alto. Ou então quando você entra em uma loja e na etiqueta de uma roupa marca que ela custa R$250,00 porém o vendedor te aborda e informa que a roupa está custando R$150,00. Parece um grande negócio.

O mesmo princípio valore para quando um produto que custa 29,99. Este produto é registrado mentalmente pelas pessoas como de "20 e poucos reais". Já se ele estivesse com preço de R$30,00 ficaria indexado como de "30 e poucos".

Conhecer estratégias de como definir o preço que você cobra pelos seus produtos ou serviços é importante. São diferentes formas de cobrar mais e manter a satisfação do cliente.

Enquanto cliente, para evitar o viés da ancoragem, é recomendável que o investidor:

- Preste atenção a valores tomados como referência, verificando se têm fundamento sólido ou se são valores arbitrários, utilizados apenas como âncoras.

- Mantenha-se atualizado quanto aos valores tomados como base de comparação, como as taxas de câmbio, inflação e CDI, entre outras, a fim de evitar basear sua decisão em valores que não se aplicam ao cenário real.

- Questione as referências que tem, certificando-se de que sejam realmente relevantes para a tomada de decisão e de que não sejam utilizadas apenas para suprir uma possível lacuna de informação.

- Evite tomar decisões financeiras por impulso e sem informações suficientes, uma vez que, na falta de base racional, sua mente irá apelar para o que estiver mais facilmente à disposição, porém nem sempre favorável.